Leandro Rodrigues: Do Mofo & Suas Simetrias (2021)

Leandro Rodrigues (Osasco, 1976) publicou os livros Aprendizagem Cinza (Patuá, 2016), Faz Sol Mas Eu Grito (Patuá, 2018), Todas As Quedas São Livres (Penalux, 2020) e Do Mofo & Suas Simetrias (Patuá, 2021), além de participar de diversas antologias: O Casulo (2016), Hiperconexões 3 (2017), Sarau da Paulista (2019), MedioCridade (2019), 70XCaio (2019), Clausura (2020) entre outras. Em 2020 venceu o 4º Prêmio Guarulhos de Literatura na categoria Poesia com Do Mofo & Suas Simetrias (então inédito). Teve poemas traduzidos e publicados na Espanha e Estados Unidos (Antologia de poesia brasileira contemporânea da revista DUSIE nº 21 da UCLA).




Os poemas a seguir foram selecionados da obra Do Mofo & Suas Simetrias (Patuá, 2021).




O ÚLTIMO RINOCERONTE BRANCO

O último rinoceronte branco morreu
   sem deixar herdeiros

O último rinoceronte branco esqueceu
    dos longos labirintos do fauno

O último rinoceronte branco derramou
    sua derradeira lágrima azul

e num voo em formato de elipse
    deitou fora a humanidade

extinguiram-se seus caniços de cera
    suas gravuras de Dürer
    suas presas imóveis

sua estranha desestrutura blindou-se   
    num falso grunhido estapafúrdio,
    réquiem para nenhum vestígio

O último rinoceronte branco morreu
    de tédio   de tédio   de tédio   de tédio

Leia mais

Gabriela Guimarães: Greta (2020)

Gabriela Guimarães (Minas Gerais, 27 out 1999) é estudante de Letras pela Universidade Federal de São Paulo. Colabora com o Terracota e Paletó Verde Coletivos de poesia. Greta é seu primeiro livro.




Os poemas a seguir foram selecionados do livro Greta (Urutau, 2020).



.

A parte inferior preta dos cogumelos
pontos que estremecem a luz do dia
vagam naquele corpo
um esqueleto com pequenos mariscos
nas costelas uma lula vibra
nessas frestas, vejo seu corpo flexível
você corre na chuva
eu a sinto gelada e pontiaguda nos seus ventos
mas muito bem protegida
bem protegida.

Leia mais

Macaio Poetônio: leopardos maciços (2020)

Macaio Poetônio, um dos fundadores da revista eletrônica Poesia Primata e da Editora Primata, é poeta, editor e designer gráfico. leopardos maciços é seu segundo livro.

foto: Gae Breyton


Os poemas a seguir foram selecionados do livro leopardos maciços (Editora Primata, 2020), disponível para aquisição neste link.




.


Chove.
Os pássaros dormem escondidos.
Corpos se esbarram no transporte público.
Eu aceito
o novo amor.

Leia mais

Yara Fernandes Souza: Sádica sílaba (2021)

Yara Fernandes Souza (1983) é escritora, publicou Sádica sílaba (Editora Patuá, 2021). Nasceu em Ribeirão Preto (SP), mas escolheu a Bahia como lar desde 2015. Participou das coletâneas O amor nos tempos de lonjura (Mirada Janela, 2020), Ruínas (Editora Patuá, 2020), Só a poesia salva (Editora Primata, 2020), Escritos de Quarentena (Centro Cultural do IEL, 2020) e Antologia de Poetas Vermelhos (Editora Sundermann, 2015). Comete poemas e outros conteúdos no Instagram @yara_fers



Os poemas a seguir foram selecionados da obra Sádica sílaba (Editora Patuá, 2021).



Sádica sílaba

A farpa do meu canto
na tua garganta.
Minha sílaba madrugada,
meu ácido pranto,
minha rima
na tua jugular.

Quer te chorar.


Leia mais

Pedro Moreira: Malemá (2021)

Pedro Moreira (1995) é poeta. Autor de Malemá (2021), publicado pela Editora Patuá. Colaborou com as revistas Subversa, Mallarmargens, Desenredos, Bacanal, entre outras.

foto: Shay Lenis de los Santos Rodriguez



Os poemas a seguir foram selecionados do livro Malemá (Patuá, 2021).




O RELÓGIO


Quando eu tinha cinco anos
minha tia me chamou
e disse: — que horas é você?

Eu entendi mas era pequeno
meus olhos eram como ponteiros
olhando para ela
em taque tique em vez de tique taque

Devolvi a pergunta na mesma cor:
— que passeio é você?
mas ela respondeu que não sabia

Me pegou no colo
com todas as horas que lhe restavam
falando como eu tinha crescido

Eu entendia mas era pequeno
— que relógio era eu?

Leia mais