Claudinei Vieira: Olá, pequeno monstro do dia (2016)

Claudinei Vieira é autor de Desconcerto (contos, selo Demônio Negro, 2008), Yũrei, Caberê (poesia, editora Patuá, 2015), Olá, pequeno monstro do dia (poesia, editora Benfazeja, 2016), além de participação em várias antologias de contos e poesia. Organiza os Desconcertos de Poesia, em São Paulo.

 

 

Os poemas a seguir foram selecionados do livro Olá, pequeno monstro do dia (Benfazeja, 2016).

 

 

 

e se me fico assim
nessa espera doída de um abraço seu
dos que me acalentam
à borda do furacão
ou nessa angústia covarde
de que a ponta dos ossos de suas asas
arranhem minha alma já avariada

neste aguardo ansioso de sua língua fervente
a lamber meu corpo a me acalmar o sono
ou o medo pavor de que o bifurcado escaldante
queime arranque minha pele

e se me fico assim
com essas esperanças cegas
a me preparar para o pulo

 

PONTA DAS ASAS

(mais…)