Marcus Groza

Marcus Groza é professor, palavrero e devoto do céu violado. Publicou o livro de poemas e narrativas Sossego Abutre (Editora Patuá , 2015). Em 2016, assinou o libreto-dramaturgia e a encenação da anti-ópera Rua Carne Entre as Articulações. É doutorando em Artes Cênicas (Unirio) e coeditor da Revista Abate e da Revista Saúva.

 

 

 

 

DEFENESTRANDO MENDIETA

 

|EU queimou a VÍTIMA|

nem uma sobra
nem uma lasca de herói
nada
somente mortos e assassinos

quem aqui não carrega
o rosto empoeirado
da última terra que o vento criminoso
levantou por favor
esvazie os bolsos de pedras

quem inocência jurar
quem inocente ou ileso
se abraça e se conforta a si mesmo
carrega a moeda do herói
na ponta do nariz
com ela o mundo coloniza
domestica ou tenta ou imagina
a cada manhã em que pisa no chão

como seria
se o universo tivesse um eixo
e isso eixo fosse

EU Isso
| Deus |
Isso EU

um sorriso extenuante
concretado no rosto
uma ave pousada na cabeça como fosse um chapéu
uma ave que não voa
e você também não a espanta
nunca
nem às vezes para um daqueles respiros
em que mais e mais nos vinculamos um ao outro
meu amor
nem para um passeio arejar a cabeça
nada
e continuo
fingindo silêncio
colorindo a pele no verão

um dia sim
sonhei um dia
uma invenção de poeira
coisa de menino
montar com cacos sonhei
EU VÍTIMA

mas nem uma sobra
nem uma lasca de herói
nada
somente mortos e assassinos

(mais…)