Bruno Molinero: Férias na Disney (2021)

Bruno Molinero é jornalista e autor de Alarido (Patuá, 2015), livro que venceu o prêmio Guavira de Literatura em 2016, e Férias na Disney (Patuá, 2021).



Os poemas a seguir foram selecionados do livro Férias na Disney (Patuá, 2021).





ANÚNCIO


aluga-se
quarto
pra casal
homem
e mulher
sem vícios
mobiliado
com cama
criado-mudo
bíblia e um
trinta e oito
carregado
na gaveta


CORRA


começou ainda criança
foi o único que percebeu
o poodle cair na piscina
as patinhas angustiadas
tentando chegar à borda

e fez o quê?

ficou lá
imóvel
assistindo à língua roxa
ao pulmão encharcado
até o bicho virar âncora

não moveu um dedo

mas veio a vergonha
e gritou para a mãe
todo descabelado
o petit petizinho
morreu afogado

mãe!

como se não soubesse
não tivesse visto os pelos
pesados presos ao ralo
não estivesse ao alcance
a chance de o cachorro

estar vivo ainda hoje

mas preferiu
o medo e a fobia
todo enrugado
de um terror
tão real que

chega a ser molhado

então nem comece agora
depois desses anos todos
a dizer que finalmente vai
tirar a poeira dos ossos
desenrijecer articulações

paradas inertes petrificadas

ainda mais depois
do que aconteceu ontem
:
sabe que todo mundo
percebeu, não sabe?

pois é

seria melhor correr
abandonar a casa
não levar roupas
pasta de dente
sequer uma mala

mas não consegue

né?
vai ficar aí
sentado
e um rio
escorrendo

pelas axilas


SABE COM QUEM ESTÁ FALANDO?


você escolhe o melhor clube
paga quinhentos mil no título
as mensalidades em dia
vira a sócia responsável
pelas buchas do balé fitness
toma posse como conselheira
e ainda assim é barrada feito
cadela
só porque a neide não estava
toda de branco
francamente
uma vergonha
claro que fiz o maior barraco
disse que minha empregada
veste o que eu bem entender
e não deixo ela ser maltratada
até porque a lei está pesada
o que eu acho certíssimo
viu?
agora…
o clube quer mandar
mais do que eu nos
meus próprios funcionários?
era só o que me faltava
gritei na guarita
rodei a baiana
sabe com quem está falando?
porque precisei ir pra casa, né
não ia ficar lá sem ajuda da neide
cuidar de duas crianças sozinha
ainda mais com o zeca desse jeito
pré-adolescente
quer tudo na hora
mas eles vão ver
já mandei o estêvão procurar o dono
aquele cara que passou o ano novo
com a gente lá em trancoso
lembra?
esse mesmo
se quiser indico o seu nome
o clube é ótimo
dez piscinas
dezesseis quadras
sauna play
gente bonita
você vai amar

só um segundinho, amiga

neide
você
fala
por
tu
guês
?

disse
que
não
posso
mais
comer
açúcar
criatura!
traz o adoçante
pelo amor de deus

oi, flor
desculpa
ela trouxe um cafezinho delícia
pão de queijo bolo de cenoura
mas às vezes preciso ser dura
ou a neide vira a dona da casa

me parte o coração
você sabe


MINDFULNESS


felizes são os cactos
intactos
que sem esperança
de a lágrima do calango
virar rio
não têm tempo de olhar
as estrelas









Primata

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *