Luís Perdiz: Desejo de terra (2019)

Luís Perdiz nasceu em Campinas/SP. Poeta, compositor e editor, coordena a revista eletrônica Poesia Primata com foco em literatura brasileira contemporânea.

Desejo de terra, seu livro mais recente, foi contemplado com a bolsa de Criação e Publicação Literária ProACSP. Com apresentação de Jorge Mautner e prefácio Claudio Willer, a obra retoma suas principais influências: o modernismo brasileiro, a tropicália, o surrealismo e a geração beat.



Os poemas a seguir foram selecionados da obra Desejo de terra (Primata / Patuá, 2019), disponível para aquisição neste link.



.


Através dos sonhos
sambamos cegos
de tanto néctar.
As raízes rugem
anunciando o sol.


.

Uma flor me abriu no meio
e eu quero seu mistério.
Venho das chamas anunciar
a pressa em ser a presa
que nunca se encerra.


.

Cultuar o calor.
Deter a violência
camuflada de mito.
Metamorfoses
contra metralhadoras.



.

Naquela tarde
nos sugamos
como tangerinas.
Flechas feridas
derramadas no pomar.


.

Desejo de terra.
Viver o risco da beleza
nas paixões desordenadas.
Vertigem ágil entre
a garganta e o naufrágio.



.

A biologia é fraca
quando o mormaço dói.
Mas as veias resistem
na onça-pintada
submersa no crepúsculo.


Primata

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *