Gabriela Guimarães: Greta (2020)

Gabriela Guimarães (Minas Gerais, 27 out 1999) é estudante de Letras pela Universidade Federal de São Paulo. Colabora com o Terracota e Paletó Verde Coletivos de poesia. Greta é seu primeiro livro.




Os poemas a seguir foram selecionados do livro Greta (Urutau, 2020).



.

A parte inferior preta dos cogumelos
pontos que estremecem a luz do dia
vagam naquele corpo
um esqueleto com pequenos mariscos
nas costelas uma lula vibra
nessas frestas, vejo seu corpo flexível
você corre na chuva
eu a sinto gelada e pontiaguda nos seus ventos
mas muito bem protegida
bem protegida.

.


A primeira vez que vi um papiro,
estava vazio.
É fatal não reconhecer,
não espere que alguém venha aqui e te abrace.


.


Tragédia dialogal comum:
um homem passa
longe de ser aquele da rua, você o para
pergunta se tem aquela poesia, que é seu próprio corpo.
Nega, mas já teve.
Sorria
peça desculpas
saia andando sem olhar para atrás
porque não significa nada
nada.


.


o coração vazio
tendo um assobio
vive na fenda do mundo.
Sabiá, que tanto já voou
me diz
onde anda o juiz
e tu que andas por aí
já voou e não aliviou minha dor
o coração vazio
tendo um assobio
acompanha os velhos
em pé de serra
dorme na rede
o sol ao centro e a luz
cortando fundo
o coração vazio tendo um assobio.
Furaram seus olhos
para cantar melhor.


Primata

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *