Isabela Sancho: A depressão tem sete andares e um elevador (2019)

Isabela Sancho nasceu em Campinas, em 1989. Integra o corpo de poetas do portal Fazia Poesia e segue o Curso Livre de Preparação do Escritor na Casa das Rosas. É autora e ilustradora dos livros de poemas As flores se recusam (Editora Patuá, 2018 – finalista no Prêmio Literário Glória de Sant’Anna 2019, Portugal) e A depressão tem sete andares e um elevador (Editora Penalux, 2019). Ainda em 2019, terá sua primeira plaquete publicada pela Editora Primata e seu terceiro livro pela Editora Urutau.



Os poemas a seguir foram selecionados do livro A depressão tem sete andares e um elevador (Editora Penalux, 2019).



.


O ronco do motor,

o elevador desemperra
na cólera
de um ressono.

Solavanca
e então breca

grosso e brusco.


.


Em dois segundos
uma gota de óleo
soa, soa

seu eco



solitário, fatal.


.


Não há painel,
interfone,
um botão de parada forçada,
o botão



de abrir já essas portas.

Em caso de emergência,
não tenha uma.


.

O elevador não para.
Pressupõe que se perceba
a hora certa



de saltar.

Os cálculos de quem sabe
não se deixar


prensar ao meio.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *