Jean Narciso Bispo Moura: Psicologia do efêmero (2012)

Jean Narciso Bispo Moura, poeta e professor. É natural de São Félix-BA e reside atualmente em Suzano-SP. Estreou em livro no início dos anos 2000, com o título A lupa e a sensibilidade, também é autor de 75 ossos para um esqueleto poético (2005); Excursão incógnita (2008); Memórias secas de um aqualouco e outros poemas (2011), Psicologia do efêmero (2012). E-mail: para contato: [email protected] Site: www.literaturaefechadura.com.br.

 

 

Os poemas a seguir foram selecionados do livro Psicologia do efêmero (2012).

 

 

PORTO

 

Porto no ócio
Carga em demasia de palavras
Descoloco o olhar dos afazeres
Para o papel avulso
Diálogo-mudo
Sem fé na batina visível
Azucrinado
Enlouqueço dentro do confessionário

 

GEOGRAFIA DAS HORAS

 

Tudo que está fora da epiderme
é estrangeiro
as necessidades são diluídas
na piscina presente e futura
piscina erguida dia a dia
na geografia das horas
as céleres placas tectônicas deslocam o centro
de nossos pés no universo
mexendo em nosso familiar pavimento
tornando alpes,
num piscar de olhos,
em relevos

 

CORPO DESCONFIADO

 

artimanha
artifício
artefato burilado
para enjaular a inocência

deitado envolto
neste campo de armadilha
de pijama e um par de meias
ensaio descansar em minha mobília
com um só olho
e todo um corpo desconfiado em vigília

 

MACIEIRA

 

Sentado debaixo da macieira
Uma maçã de porte provinciano
Cai em cima de minha cabeça
Ela não é sequer similar
Aquela que arquieto
Nos porões do pensamento
A cor, o odor,
A circunferência e o peso
Nada adere como singular resíduo
Para que eu amorosamente a reconheça.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *